CONVENÇÕES COLETIVAS DE TRABALHO

BAIXA NO SITE AS CONVENÇÕES COLETIVAS DE TRABALHO DA CONSTRUÇÃO LEVE DE TERESINA, DA MARCENARIA DE TERESINA E DA CERÂMICA E CONSTRUÇÃO PESADA DO ESTADO DO PIAUÍ.



Os links para baixar são:


CCT DA CONSTRUÇÃO CIVIL LEVE

*2013/2015 (NOVA) - Click Aqui

*Aditivo 2012/2013 - Click Aqui -

- VIGÊNCIA EXPIRADA

*2011/2013 - Click Aqui - - VIGÊNCIA EXPIRADA


*2009/2011 - Click Aqui - VIGÊNCIA EXPIRADA

*Aditivo 2010/2011 - Click Aqui - VIGÊNCIA EXPIRADA

*2007/2009 - Click Aqui - VIGÊNCIA EXPIRADA

*Aditivo 2007/2009 - Click Aqui - VIGÊNCIA EXPIRADA



CCT DA CERÂMICA

*2009/2011 - Click Aqui

* 2007/2009 - Click - VIGÊNCIA EXPIRADA

* Aditivo 2008/2009 - Click Aqui -VIGÊNCIA EXPIRADA



CCT DA MARCENARIA

*2011/2012 - Click Aqui - VIGÊNCIA EXPIRADA

*2007/2009 - Click Aqui - VIGÊNCIA EXPIRADA

*Aditivo - 2008/2009 - Click Aqui - VIGÊNCIA EXPIRADA



CCT DA CONSTRUÇÃO PESADA

*2009/2010 - Click Aqui - VIGÊNCIA EXPIRADA

*2008/2009 - Click Aqui - VIGÊNCIA EXPIRADA

*2007/2008 - Click Aqui - VIGÊNCIA EXPIRADA



1. Click no link da Convenção Coletiva de Trabalho que deseja, aguarde uns 10 segundos e



2. Click em "Click here to start download.."



3. Escolha onde deseja salvar o arquivo e depois salvar.



ATENÇÃO: arquivos testados com ant-virus.


terça-feira, 24 de junho de 2014

Escola da Construção Civil dar inicio as aulas praticas




A Associação Educacional dos Profissionais da Construção Civil do Estado do Piauí –“Escola da Construção Civil, iniciou as aulas praticas dos cursos de Pedreiro, Carpinteiro, Ferreiro Armador, Mestre de Obra e Pintor. As aulas estão sendo realizadas no período da tarde, em alguns canteiros de obras de Teresina; é uma etapa importante dos cursos, pois vão colocar em prática tudo que aprenderam nas aulas teóricas em sala de aula, as aulas de Pedreiro, Carpinteiro e Ferreiro Armador estão sendo realizadas no canteiro de obras de Penta Incorporações, Mestre de Obras estão sendo realizadas no canteiro de obras da Macêdo Fortes e de Pintor está sendo realizada na Patrimônio/Vetor, a direção da escola solicitou para as empresas que tem alunos matriculados através de oficio, suas liberações para que os mesmos pudessem participar dessas aulas praticas, e agradeceu a todas aquelas que cederam seus trabalhadores para colocarem em pratica.

quarta-feira, 28 de maio de 2014

segunda-feira, 28 de abril de 2014

RELAÇÃO DOS EX-FUNCIONÁRIOS DA KV PARA PAGAMENTO NO DIA 06 DE MAIO

A partir do dia 06
de Maio, os ex-funcionários listados, deverão comparecer a sede da entidade, portando cópia de RG e CPF.
O próximo sorteio será realizado no dia 20 de Maio, para o pagamento do mês de Junho. 

sexta-feira, 21 de março de 2014

RELAÇÃO DOS EX-FUNCIONÁRIOS DA KV PARA PAGAMENTO NO DIA 07 DE ABRIL

A partir do dia 07 de Abril, os ex-funcionários listados, deverão comparecer a sede da entidade, portando cópia de RG e CPF.
O próximo sorteio será realizado no dia 20 de Abril, para o pagamento do mês de Maio.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

RELAÇÃO DOS EX-FUNCIONÁRIOS DA KV PARA PAGAMENTO NO DIA 06 DE MARÇO

A partir do dia 06 de Março, os ex-funcionários listados, deverão comparecer a sede da entidade, trazendo cópia de RG e CPF.
O próximo sorteio será realizado no dia 15 de Março, para o pagamento do mês de Abril.

quarta-feira, 15 de janeiro de 2014

RELAÇÃO DOS EX-FUNCIONÁRIOS DA KV PARA PAGAMENTO NO DIA 05 DE FEVEREIRO

A partir do dia 05 de Fevereiro, os ex-funcionários listados, deverão comparecer a sede da entidade, trazendo cópia de RG e CPF.
O próximo sorteio será realizado no dia 15 de Fevereiro, para o pagamento do mês de Março.

terça-feira, 10 de dezembro de 2013

REAJUSTE SALARIAL 2013/2014 PARA CONSTRUÇÃO CIVIL TERESINA

Depois  de várias  mesas de negociações, foi aprovado em assembleia geral dos trabalhadores da construção civil de Teresina, um reajuste de 8.33% para os oficiais (pedreiro, carpinteiro, etc..) e 7.40% para os não oficiais (servente) e 7.00 % para os demais. A diferença do mês de novembro e 13º será pago junto com a folha do mês de Dezembro!






Veja abaixo a tabela:

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2013

Novo documento de rescisão de contrato de trabalho começa a valer hoje


Uso do novo modelo do Termo de Rescisão do Contrato de Trabalho é obrigatório a todos os empregadores que demitirem seus funcionários sem justa causa a partir de hoje (1º). O documento deveria ter se tornado obrigatório em 1º de novembro de 2012, mas a vigência foi adiada devido à baixa adesão das empresas ao termo, segundo o Ministério do Trabalho e Emprego. Com isso, os empregadores tiveram mais de seis meses para se adequar ao novo termo, que foi aprovado em julho de 2012. De acordo com o ministro do Trabalho, Brizola Neto, não há possibilidade de prorrogar o prazo.


Sem o termo de rescisão, nenhum trabalhador pode sacar o Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) ou o seguro-desemprego nas agências da Caixa Econômica Federal. Essa impossibilidade também vale para trabalhadores domésticos que tenham FGTS.

De acordo com um balanço divulgado pela Caixa, em novembro 41% dos empregadores tinham aderido ao novo termo até o período, o que foi considerado um percentual baixo pelo Ministério do Trabalho.

No novo modelo, as verbas rescisórias devidas ao funcionário e as deduções feitas deverão ser detalhadamente especificadas. No documento, também devem constar adicional noturno, de insalubridade e de periculosidade, horas extras, férias vencidas, aviso prévio indenizado, décimo terceiro salário, gorjetas, gratificações, salário família, comissões e multas. Ainda deverão ser discriminados valores de adiantamentos, pensões, contribuição à Previdência e o Imposto de Renda Retido na Fonte (IRRF). De acordo com o governo, o objetivo é facilitar a conferência dos valores pagos e devidos ao trabalhador.

“O novo termo trouxe mais segurança para as duas partes. Para o trabalhador, porque detalha todos os direitos rescisórios, como valores de horas extras, de forma minuciosa. Consequentemente, o empregador também se resguarda e terá em mãos um documento mais completo, caso ocorram futuros questionamentos, até por parte da Justiça Trabalhista”, informou, em nota, o ministro Brizola Neto.

Para o presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas do Distrito Federal (CDL-DF), Álvaro Silveira Júnior, o novo termo será benéfico para empregadores e trabalhadores.

“À medida que as informações ficam mais claras no documento, há mais segurança e clareza de que a empresa pagou e o trabalhador recebeu. No momento da aposentadoria, muitas pessoas têm problemas por esse tipo de divergência em documentos”, disse.

Para o presidente da CDL-DF, ainda falta informação sobre o novo documento para trabalhadores e pequenos empresários, mas ele acredita que, com o início da obrigatoriedade, as mudanças deverão chegar a conhecimento público.

O novo termo deverá ser impresso em quatro vias, uma para o empregador e três para o empregado – duas delas deverão ser entregues à Caixa para o saque do FGTS e a solicitação do seguro-desemprego.   fonte: http://miraldovieira.blogspot.com.br

quarta-feira, 30 de janeiro de 2013

Trabalhadores da construção civil recusam proposta dos empresários em Teresina

Os trabalhadores da construção civil da região metropolitana de Teresina, recusaram a proposta apresentada nesta terça-feira (29) pelo Sindicato dos Industriais da Construção Civil (Sinduscon) de conciliação e vão continuar de braços cruzados. Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores na Indústria da Construção e do Mobiliário do Médio Parnaíba (Sitricom) a classe patronal ofereceu apenas 7% de aumento salarial, sendo que os operários reivindicam um reajuste salarial de 11%.

De acordo com Antonio Rodrigues da Silva, presidente Sitricom, a classe lamenta a "queda de braço". “Não queremos deixar de trabalhar, o que queremos é uma melhor remuneração e mais segurança para a classe. Nesse ano já morreu um companheiro depois de um acidente de trabalho”, lamenta.A audiência foi intermediada pela delegada do trabalho Paula Mazzolo. Os grevistas querem o cumprimento do piso salarial para todos os profissionais da categorial e alegam falta de segurança nos canteiros de obras.


A estimativa é que aproximadamente 15 mil operários estão parados e 5 mil obras em todo o Piauí suspensas. Segundo o Sitricom 100% das obras da capital estão paralisadas.


O G1 Piauí tentou até às 21h falar com o presidente do Sindicato dos Industriais da Construção Civil (Sinduscon), André Baia, mas não obteve êxito.

fonte: G1.com

SALÁRIOS DA INDÚSTRIA DA CERÂMICA DO PIAUÍ

TABELA DE SALÁRIOS DA INDÚSTRIA DA CERÂMICA

REAJUSTE DE 7% DE NOVEMBRO/07 A FEVEREIRO/08


NÃO OFICIAL --------------------------- R$ 396,00
DIÁRIA ----------------------------------R$ 13,20
H.NORMAL ----------------------------- R$ 1,80
H. EXTRA 50%---------------------------R$ 2,70
H.EXTRA 100%----------------------- ---R$ 3,60

MEIO OFICIAL --------------------------R$ 404,80
DIÁRIA ----------------------------------R$ 13,49
H.NORMAL ----------------------- ------R$ 1,84
H.EXTRA 50% ---------------------------R$ 2,76
H.EXTRA 100% ----------------- --------R$ 3,68

OFICIAL --------------------------------R$ 512,20
DIÁRIA --------------------------------- R$ 17,08
H.NORMAL ----------------------------- R$ 2,33
H.EXTRA 50%---------------------------R$ 3,49
H.EXTRA 100% -------------------------R$ 4,66

REAJUSTE DE 3% DE MARÇO A 31 DE OUTUBRO DE 2008

NÃO OFICIAL -------------------------R$ 409,20
DIÁRIA --------------------------------R$ 13,64
H.NORMAL ----------------------------R$ 1,86
H.EXTRA 50% -------------------------R$ 2,79
H.EXTRA 100% ------------------------R$ 3,72

MEIO OFICIAL -----------------------R$ 418,00
DIÁRIA -------------------------------R$ 13,93
H.NORMAL ---------------------------R$ 1,90
H.EXTRA 50% ------------------------R$ 2,85
H.EXTRA 100% -----------------------R$ 3,80

OFICIAL -----------------------------R$ 528,00
DIÁRIA ------------------------------R$ 17,60
H.NORMAL --------------------------R$ 2,40
H.EXTRA 50%------------------------R$ 3,60
H.EXTRA 100% ----------------------R$ 4,80
Teresina, 07 de Fevereiro de 2008.

Aprovação da Previsão Orçamentaria para 2008

Aprovação da Previsão Orçamentaria para 2008

Aprovada a Previsão Orçamentaria para 2008

Foi aprovado em Assembleia Geral realizada no dia 22 de Dezembro no Clube do Sitricom, a previsão orçamentaria para 2008. A aprovação em assembleia é muito importante, porque com ela o SITRICOM, poderá trabalhar em 2008.

Estamos no Orkut

Tambem temos uma comunidade no Orkut, onde os trabalhadores poderão participar mandando reclamações, sugestões, elogios e criticas para melhor atendemos a cartegoria.
Acesse agora:
http://www.orkut.com/Community.aspx?cmm=46552262

SALARIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL LEVE 2007/2008

TABELA DE SALÁRIO DA CONSTRUÇÃO CIVIL LEVE 11/2007

PROFISSIONAL

SALARIO.........................R$ 560,00
DIARIA............................R$ 18,66
HORA NORMAL.............R$ 2,54
HORA EXTRA 50%........R$ 3,81
HORA EXTRA 100%......R$ 5,08

MEIO OFICIAL

SALARIO.........................R$ 430,00
DIARIA.............................R$ 14,33
HORA NORMAL..............R$ 1,95
HORA EXTRA 50%.........R$ 2,92
HORA EXTRA 100%.......R$ 3,90

NÃO OFICIAL

SALARIO...........................R$ 400,00
DIARIA..............................R$ 13,33
HORA NORMAL..............R$ 1,81
HORA EXTRA 50%..........R$ 2,71
HORA EXTRA 100%........R$ 3,62

ACIMA DO PISO:
OS VALORES ACIMA DOS PISOS SERÃO REAJUSTADOS EM 6%

CONSTRUÇÃO DÁ AUMENTO DE 12%


Construção dá aumento de 12% para operários
Sexta, 28 de dezembro de 2007
Depois de várias rodadas de negociação, os trabalhadores da Construção Civil de Teresina firmaram um acordo com os empresários do setor, conseguindo um reajuste salarial equivalente a 12%, além de garanti o sabado livre aos trabalhadores. “Essas eram as duas cláusulas pendentes. Muitas empresas estendiam a jornada de trabalho até o sábado e com o acordo só trabalhamos até sexta-feira, que é o recomendável em todo o país”, explicou o presidente do sindicato dos trabalhadores da Construção Civil em Teresina, José Gomes. Segundo ele, o piso salarial da categoria foi fechado em R$ 560, pouco abaixo da última proposta apresentada pelo sindicato, de R$ 570. “Antes os empresários apresentaram R$ 550, depoissubiu para R$ 560 e acatamos a proposta durante assembléia geral”, disse. Mesmo com o ganho salarial – acima da inflação – José Gomes diz que a proposta inicial da categoria era um reajuste de 25%, ou seja, com um piso no valor de R$ 625. Na verdade, explicou José Gomes, o piso de R$ 560 é válido para os profissionais da Construção Civil. “São três pisos salariais: um para o profissional, outro para o meio-oficial (uma espécie de aprendiz) e outro para o não-oficial (serventes). Para o meio-oficial ficouem R$ 430 e para o não-oficial passou de R$ 380 para R$ 400”, disse. As negociações entre trabalhadores e empresários da Construção Civil começaram ainda em setembro. Os trabalhadores chegaram a ameaçar uma greve geral, caso as reivindicações nãofossem atendidas. “Desde então, já realizamos diversas mobilizações. Apesar de não termo s alcançado nosso objetivo nós entendemos que a proposta apresentadadava para atender nossas necessidades no momento. No que diz respeito à questão salarial tivemos reajustes satisfatórios, acima da inflação”, diz. De acordo com o sindicato, a Grande Teresina (que inclui os municípios de Altos, Demerval Lobão, Palmeirais e José de Freitas) possui cerca de 12 mil trabalhadores formais na Construção Civil.Estima-se que pelo menos 18 mil trabalhadores não têm carteira assinada. CRISE – José Gomes diz que apesar do segundo semestre ser melhor para a Construção Civil, nesse ano essa expectativa não se confirmou. “Não houve acréscimo na oferta de empregos. Eentre agosto e setembro houve muita demissão, de pelo menos 3 mil trabalhadores. O final do ano é sempre melhor para a categoria, mas esse ano não foi assim”, disse. A partir de setembro, o presidente do sindicato diz que houve uma estagnação tanto na oferta de empregos como nas demissões. “As grandes obrasque foram realizadas neste ano – como construção de estradas – não necessitavam de muita mão-de-obra”, justificou

4ª Marcha da Classe Trabalhadora

4ª Marcha da Classe Trabalhadora
5 de Dezembro de 2007

SITRICOM na 4ª Marcha da Classe Trabalhadora

O SITRICOM participou com um grupo de 06 diretores sindicais e de base da 4ª Marcha da Classe Trabalhadora que aconteceu no ultimo dia 05 de Dezembro, em Brasília/DF; organizada por seis Centrais Sindicais (CUT, FORÇA SINDICAL, CGTB, NCST, UGT e CTB), reunindo aproximadamente 30 mil trabalhadores(as) de todas as partes do Brasil, as reivindicações foram: Redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais; Mais e melhores empregos; o fortalecimento da seguridade social e a elaboração de políticas públicas para preservar os direitos dos trabalhadores.
A caminhada da marcha teve inicio por volta 10 horas da manhã, saindo do estacionamento do Estádio Mané Garrincha rumo ao Congresso Nacional, tendo como fundo o samba enredo 2008 da Unidos da Vila Isabel (RJ), cujo o tema é Trabalhadores do Brasil, de lá, vários lideres sindicais foram ao Palácio do Planalto, para um encontro com o Presidente da Republica. “A redução da jornada de trabalho de 44 para 40 horas semanais, vai garantir melhor qualidade de vida com mais tempo livre para o lazer, os estudos e o convívio com a família”, disse Evilásio Lopes diretor do sindicato.

Noticias do SITRICOM